Aplicação da spirulina na criação de Betta splendens

A spirulina vem despertando crescente aumento de interesse entre os aquaristas, na atualidade. Afinal, do que se trata? Qual é sua aplicabilidade no hobby, em particular na criação de Betta splendens?

É uma bactéria de cor verde-azulada (Cyanobacterium), de formato espiral (origem do nome), do gênero Arthrospira, pertencente a ordem Oscillatoriales. É um organismo unicelular e fotoautótrofo que se agrupa, formando formas filamentosas (tricomas).

Spirulina (alga filamentosa) - Imagem meramente ilustrativa de origem desconhecida.
Spirulina (alga filamentosa) – Imagem meramente ilustrativa de origem desconhecida.

Na natureza estas bactérias se desenvolvem em grande profusão nas lagoas vulcânicas africanas, devido a ausência de competidores provocada pela alcalinidade e salinidade de suas águas. Ocorrem também na Europa e América Central, possivelmente conduzidas por aves migratórias.

Esta bactéria, ou alga, se preferir, é largamente empregada na alimentação humana e animal. Contém elevado conteúdo em proteínas de alto valor biológico. Também é empregada na fonte de pigmentos.

Existem registros históricos de seu consumo na cultura Asteca e outras da América Central, bem como no norte da África, desde o século 9.

Hoje ela é cultivada no mundo todo, mais intensamente na Ásia (China, Índia, Myanmar, Paquistão, Taiwan e Tailândia).

A spirulina possui taxas de proteína superior à carne, ovos e peixes, é um ótimo componente no auxílio ao desenvolvimento muscular dos seres vivos, além de aumentar significativamente o sistema imunológico.

Composição nutricional de spirulina (conteúdo do seu peso seco):

  • Proteínas: 60-70%
  • Carboidratos: 15-25%
  • Minerais: 7-13%
  • Lipídeos: 6-8%
  • Umidade: 3-7%

Sua aplicação nos aquários não se resume apenas as espécies onívoras e herbívoras, apesar de sua maior indicação ser para os peixes notoriamente vegetarianos, como kinguios, poecilídeos, ciclídeos africanos e peixes marinhos; podemos oferecer este super alimento a todos os peixes, tanto de água doce quanto salgada.

É recomendável usá-la para complementar a dieta de seus peixes. A diferença será perceptível, rápida e positiva na saúde deles, tanto em desenvolvimento quanto em resistência as doenças (especialmente indicada no processo de recuperação de peixes doentes).

É encontrada para compra nos formatos: pó, tablete e flocos. Podem ser compradas em: lojas de aquarismo, farmácias de manipulação de produtos naturais, supermercados (área de dietéticos), lojas de produtos naturais, etc.

Spirulina em pó. Imagem meramente ilustrativa de origem desconhecida.
Spirulina em pó. Imagem meramente ilustrativa de origem desconhecida.

Como serví-la aos Betta splendens:

Prefira adquirir spirulina em pó (bem fino), que deve ser pulverizada na superfície da água do aquário. Se houver fonte de aeração forçada no aquário (pedra-porosa, por exemplo), prefira pulverizar o pó nesta área, para que se espalhe rapidamente por toda superfície do aquário. A quantidade deve ser mínima, o que você conseguir pegar com a ponta de um palito de dentes.

Você também pode fazer bio-encapsulamento da spirulina, por exemplo, em náuplios de artêmias franciscanas (salinas). Após coletá-las e lavá-las em água corrente doce, coloque-as num pote com água doce (isenta de cloro e metais pesados), adicionando spirulina nesta água. Coloque aeração forçada neste pote (pedra-porosa) e deixe que os náuplios assimilem a spirulina por 15/20 minutos (através do desbalanceamento hídrico/troca osmótica). Depois sirva aos peixes com o auxílio de uma pipeta ou seringa.

Fontes:

Deixe uma resposta